Diretoria

A FNE  /  Diretoria

A FNE é constituída por uma diretoria executiva, conselho fiscal e por um Conselho Diretor.
Conheça todos os representantes sindicais da atual gestão 2013-2016 da Federação:

 

 

 

Diretores
Diretores FNE Presidente
Murilo Celso de Campos Pinheiro
Diretores FNE Vice-Presidente
Carlos Bastos Abraham
Diretores FNE Diretor Administrativo
Manuel José Menezes Vieira
Diretores FNE Diretor Administrativo Adjunto
Disneys Pinto da Silva
Diretores FNE Diretor Financeiro
Antonio Florentino de Souza Filho
Diretores FNE Diretor Financeiro Adjunto
Luiz Benedito de Lima Neto
Diretores FNE Diretora de Relações Internas
Maria de Fátima Ribeiro Có
Diretores FNE Diretor Operacional
Flávio José A. de Oliveira Brízida
Diretores FNE Diretora de Rel. Institucionais
Thereza Neumann S. de Freitas
Diretores FNE Diretora Regional Norte
Maria Odinéa Melo Santos Ribeiro
Diretores FNE Diretor Regional Nordeste
Modesto Ferreira dos Santos Filho
Diretores FNE Diretor Regional Centro-Oeste
Gerson Tertuliano
Diretores FNE Diretora Regional Sudeste
Clarice Maria de Aquino Soraggi
Diretores FNE Diretor Regional Sul
José Luiz Bortoli Azambuja
Diretores FNE Diretor Repr. na Confederação - Titular
Sebastião Aguiar da Fonseca Dias
Diretores FNE Diretor Repr. na Confederação - Suplente
Wissler Botelho Barroso
Diretores FNE Diretor de Negociações Coletivas Nacionais
José Ailton Ferreira Pacheco
Diretores FNE Diretor de Assuntos do Exercício Profissional
Augusto César de Freitas Barros
Diretores FNE Diretor de Relações Acadêmicas
Cláudio Henrique Bezerra Azevedo
Diretores FNE Diretor de Relações Internacionais
José Luiz dos Santos

 

 

Conselheiros Fiscais Efetivos
Diretores FNE Edson Kiyoshi Shimabukuro
Diretores FNE José Carlos Rauen
Diretores FNE Lincolin Silva Américo

 

 

Conselheiros Fiscais Suplentes
Diretores FNE João Alberto Rodrigues Aragão
Diretores FNE Marcos Camoeiras G. Marques

 

 

Palavra do Presidente

 

 

FNE, em defesa dos engenheiros e do País

Fundada em 25 de fevereiro de 1964, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) construiu uma longa história de luta pelos engenheiros e por essa profissão que, mais que um ofício ou meio de vida, é instrumento dos avanços e transformações necessárias à humanidade.

Desde a sua criação – que se deu num período difícil para o Brasil, felizmente superado –, a nossa federação amadureceu sua atuação como entidade sindical e também como parte da sociedade civil organizada que pode e deve dar a sua contribuição para que o País trilhe os rumos do desenvolvimento sustentável, buscando inserção soberana no sistema internacional e qualidade de vida para a sua população.

A tradução inegável desse esforço feito pela FNE é o projeto “Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento”, lançado em 2006 como contribuição à retomada da expansão econômica no País. Bem-sucedida, a iniciativa cresceu em profundidade e abrangência e foi sendo atualizada constantemente, passando pela discussão sobre as cidades e as regiões metropolitanas, o enfrentamento da crise financeira, os gargalos que estancaram a retomada do crescimento observada a partir de 2007 e a Copa 2014.

Outra vitória importante da FNE é o crescimento e fortalecimento dos seus 18 sindicatos filiados, que ganharam relevância e representatividade em suas respectivas bases, além de projeção nacional em vários casos. Essa organização é hoje uma forte e coesa rede de entidades e lideranças guiadas pelo objetivo comum de defender o engenheiro e lutar pelo desenvolvimento, que se tornou capaz de superar obstáculos e construir saídas criativas para os problemas enfrentados. Fruto disso são, por exemplo, várias conquistas em relação à valorização profissional e à remuneração dos engenheiros em diversas cidades e estados brasileiros e também no setor privado.

Portanto, ciente das vitórias alcançadas e também de que essas foram fruto de trabalho, dedicação e de um movimento unitário essencial, a FNE mantém a luta permanentemente e essa se dá em diversas frentes fundamentais. Por exemplo, a defesa incansável do piso profissional da categoria previsto na Lei 4.950-A/66, o que consideramos absolutamente justo e o mínimo necessário para que se garanta o reconhecimento a uma mão de obra fundamental ao País, seja no setor público ou nas empresas privadas.

Ganha ainda maior ênfase a ação sindical de caráter nacional e também o apoio à atuação dos sindicatos filiados nesse campo. É essencial fortalecer a luta dos engenheiros como trabalhadores e ampliar sua capacidade de organização e mobilização em defesa de seus direitos.

Naturalmente, segue o debate das questões cruciais da sociedade, oferecendo a gestores públicos e parlamentares propostas factíveis e de interesse público real. Mantendo sua linha de total independência e sem ligações partidárias de qualquer nuance, a entidade trava a discussão política de forma ampla, democrática e visando o bem comum.

Murilo Celso de Campos Pinheiro - Presidente da FNE

 

 

          

SDS Bloco D - Ed. Eldorado Salas 106/109, SN - Asa Sul - 70392-901 - Brasilia - DF
Telefone: (061) 3225-2288

Codde Comunicação Digital